Sobre
Algumas pessoas passam uma vida inteira sem descobrir o seu verdadeiro dom.

Eu tive sorte.

Nunca pensei em ser fotógrafo.
Até os doze anos, quando as lentes de uma câmera transformaram o meu mundo. E mudaram, também, a forma como eu via as coisas ao meu redor.
Foi como se naquele instante eu tivesse recebido um presente divino.
Eu tinha, ao meu alcance, uma vida que resolveu me amar.
E eu escolhi amar de volta.
Dei o primeiro passo. Depois, outro. Ganhei ímpeto e tomei coragem.
Li centenas de livros, aprendi com mestres que acreditaram em meu potencial e tive o apoio de pessoas queridas que sempre me incentivaram a correr atrás dos meus sonhos.
Já fotografei muita gente. E muita coisa. Nada, porém, tem mais beleza quanto a troca de sentimentos que existe na intimidade de um casal. Em dias cinzentos ou de azul profundo. Os olhares, os sorrisos...
É como emoldurar o amor em sua plenitude.
Para sempre renascido na memória.
É... nunca pensei em ser fotógrafo.
Mas hoje eu sei que vou morrer com a câmera em punho.
Até lá, quero que o mundo conheça o amor pelos meus olhos. E que as pessoas acreditem que, assim como eu, todo mundo tem um dom.
Qual é o seu?